27 fevereiro 2010

( 649 ) A VERDADE DA MENTIRA NOS COMÍCIOS DE LEVANTE.


( Indiscutivelmente o jornal do regime é incansável com aquilo que o Barreiro Novo diz,
no entanto, consta , que este jornal “ repõe a verdade a que temos direito ” na caixa de comentários com textos anónimos ou de barreirenses muito atentos do Asdrúbal Guerra ao Felizardo Batalha)

I


Já começaram os Comícios de Levante conhecidos na gíria como Opções Participadas o primeiro do ano, ou da década como eles dizem, foi na Freguesia do Alto do Seixalinho.

Hoje não há números, mas querermos saber onde pára o rigor, a quem se exige rigor.

Disse o edil
(segundo publicação às 11:39 H) :

“Na reunião, os moradores questionaram os executivos [ Câmara e Junta ] sobre o que está previsto para um terreno situado na Escavadeira.
O edil informou que ESSE TERRENO MUNICIPAL FOI CEDIDO PELA AUTARQUIA AO JARDIM-DE-INFÂNCIA D. PEDRO V para construção de um equipamento escolar.”

Prontamente um comentário no mesmo texto, das 11,39 H ,esclarece e questiona se a origem da inverdade no "dar" e no "permutar" está num lapsus linguae ou lapsus calami:
(está lá doutor? o que é que estes termos espanholados querem dizer? sacana outra vez com palavras caras!)

“o referido terreno na Escavadeira não foi "cedido" a título gracioso pela CMB ao Jardim de Infância Dom Pedro V.
Foi ACORDADA UMA PERMUTA entre a CMB e aquela Instituição, envolvendo o terreno da escavadeira e um edifício que é propriedade do infantário no centro do Barreiro.”
II

Por serem diferentes entre si, acordar numa permuta num comodato, “dar” ou vender, têm diferentes obrigações e tratamentos jurídicos.

Dar fica bem, é muito simpático dar.

E os políticos eleitos " os fascistas " são sempre muito maus, gananciosos, nunca dão nada.
Tiram.

No dar há sempre altruísmo e desapego de quem dá.
Só gente boa dá coisas!
III

Permutar coisas é um negócio que cai inevitavelmente nas vantagens e desvantagens das coisas trocadas
- e neste caso, o valor do terreno do Asilo D. Pedro V , no Centro da Cidade , é muito relevante comparado com a porcaria do terreno num buraco inóspito e perigoso conhecido por Escavadeira entalado entre uma passagem desnivelada
(sobre linhas de caminho de ferro, a ligar à sucursal do Casal Ventoso, no Bairro das Palmeiras, onde ao pôr-do-sol é raro encontrar raça branca)
e a Cidade propriamente dita.

IV

O cidadão tem o direito ( !) ( ? ) de saber quem fala verdade.

V

É óbvio que ninguém vai esclarecer nada.

Eles querem lá saber das “verdades “ depois do objectivo político do comício de levante estar alcançado:

“ [no] período do debate, os munícipes, que se mostraram agradados com os projectos”.

É assim ,sempre muito atentos e preocupados com “ o fascista do Sócrates “ que atenta contra a liberdade de expressão do jornalismo e dos jornais.





Boa noite.

25 fevereiro 2010

( 648 ) VICENTE JORGE SILVA NÃO É UM JORNALISTA TIPO MÁRIO CRESPO

por isso mesmo este seu artigo merece um credito muito especial .

Um pequeno esclarecimento para o título:




Na minha opinião Mário Crespo não vai além de um jornalista com muito traquejo e indiscutível background que num ápice saltou para a ribalta do protagonismo nacional tendo como único mérito “denunciar “ – o que é muito pouco -

que o primeiro-ministro odeia jornalistas, é um manipulador prepotente e mais alguns dos seus acólitos dentro e fora do governo ( “anexando” o subserviente director do JN) são todos uma “cáfila”.


Que grande novidade!


Surpresa para quem?

Se não fossem "todos" assim teríamos chegado ao estado a que isto chegou?


II


E não é que no melhor Mário cai a nódoa


[por] várias vezes Mário Crespo “ter tentado” que Arons de Carvalho (ex-secretário de estado responsável pela comunicação social) interferisse na RTP para evitar a sua saída de correspondente em Washington e que lhe fosse movido um processo disciplinar “.



Expresso 20.02.10 pg. 7






III



Vicente Jorge Silva é um "velho amigo" que fundou o “O Comércio do Funchal “ o tal que lhe deu protagonismo suficiente para o retirar da ilha. De um jornal local proscrito, em 1967, fez dele um jornal nacional.

"O Comércio do Funchal" vinha da Ilha da Madeira, editado no Funchal, chegava aqui por correio só para assinantes. Creio que não se encontrava em quiosques.

Para ficar na história Pacheco Pereira classifica
“O Comércio do Funchal” como um jornal da extrema-esquerda, o que quer dizer, levado ao pensamento da época, que foi um jornal não controlado pelo pê cê pê.

Vicente Jorge Silva foi o primeiro director - fundador do Público e da “Revista” do Expresso. Foi ele que “ inventou e denunciou “ a geração rasca na A.R.


Vítima há uns anos de um choque anafilático “viajou no túnel da morte” e “voltou” para contar “essa viagem” num programa da RTP.

Nem o quiseram!

Ainda bem porque é de gente desta que nós precisamos por .


IV


Não foram fáceis os finais anos de sessenta aquando da publicação do " O Comércio do Funchal " um dos ícones da época a juntar aos perigosos Jornal do Fundão, Seara Nova, Vértice - revista de cultura e arte, O tempo e o Modo, Cadernos PE , Noticias da Amadora e parece-me que era tudo o que havia na época.

Li e assinei todas estas coisas !

Aqui na Antena 1
escute a entrevista com Vicente Jorge Silva ele explica tudo muito bem.

Recomendo esta audição para se entender e compreender melhor para depois se falar de “jornalismo”.


V



Recordo com muito agrado esses saudáveis “tempos de maluquice”, muito difíceis e de coragem q.b., inimagináveis para muitos dos patetas de hoje e de ontem , de todas as idades, agora transformados em revolucionários sem revolução, que falam de tudo e de mais alguma coisa sem entenderem de nada, convencidos que abrem novas portas em velhas já abertas.




Boa noite .

23 fevereiro 2010

( 647 )JOSÉ PEDRO PINTO LEITE, MALANGATANA O PCP E A “DEMAGOGIA LIBERALIZANTE “.

Malangatana esteve cá na segunda-feira. É tudo.Ou seria tudo mas não é.

I
A propósito do alarido que aqui se faz relacionado com o artista plástico e que o Barreiro Novo se apropriou como seu ícone cultural, recordo um acto seu de justiça e de humanismo substanciado na pintura da capa deste livro
as águas do rio Mansoa, a invadirem as escadarias de acesso à Assembleia Nacional
uma recreação de Malangatana (amigo da família Pinto Leite) feita em 2003 de uma outra pintura sua de 1987, que teve como base um desenho a carvão, perdido no tempo, de António Maria irmão de José Pedro.


Esta história vem toda neste “livro – depoimentos” , projecto de Vasco Pinto Leite (irmão de Pinto Leite deputado e líder da Ala Liberal dos tempos de Marcelo Caetano morto em 25 de Julho de 1970 num “acidente” de helicóptero das FAP no Rio Mansoa, na Guiné que vitimou igualmente os deputados James Pinto Bull, Leonardo Coimbra e José Vicente de Abreu.

Obra imprescindível para entender o Barreiro Novo.


II


O que o pcp pensava dessa famosa e prestigiada ala liberal na Assembleia Nacional em 1969

(constituída pelos deputados:

Francisco Pinto Balsemão, Francisco Sá Carneiro, João Bosco Mota Amaral, João Pedro Miller Guerra, Joaquim Macedo Correia, Joaquim Magalhães Mota, Joaquim Pinto Machado, José Correia da Cunha, José Pedro Pinto Leite, José da Silva, Maria Raquel Ribeiro, Teodoro de Sousa.)

está aqui :

“Os fascistas mascarados de liberais e a demagogia liberalizante”

- é uma das muitas reacções do pcp à rotura de Sá Carneiro ,no seguimento da morte de Pinto Leite, com a sua renuncia de deputado , por outros igualmente seguida.

“ Os fascistas pensavam que a demagogia “liberalizante” e as manobras de captação, divisão e corrupção conseguiriam silenciar a voz da Oposição democrática e paralisar a sua acção.

Como os acontecimentos têm vindo a desfazer tais esperanças, os fascistas mascarados de liberais revelam o carácter da sua demagogia “

(comité central do partido comunista português em Agosto de 1969) .

O Sonho Desfeito ou Quanto Vale a Vida de um Homem?
Vasco Pinto Leite
2003/Edição tribuna da história
ISBN 972-8799-09-8



Boa noite.

22 fevereiro 2010

(646 ) UM DESNECESSÁRIO DISCURSO POLITICO IMPRÓPRIO PARA CRIANÇAS.


O Barreiro Novo desde que se assumiu como verdade absoluta abriu um grave procedente ao servir-se de todos os actos públicos para propaganda política descontextualizada.

Vejamos a inauguração no último sábado

Nesta foto (Rostos online)



festeja-se a reconstituição - muito discutível nos investimentos realizados e no “ trabalho exigente e dispendioso” - de um património escolar barreirense .

O edil, perante esta assistência, disse:

“ é pelas crianças que estamos a inaugurar esta escola”.

Apoiado!


“ que a Autarquia tem como objectivo transformar a educação e a cultura em factores de desenvolvimento do Concelho do Barreiro.

Apoiado!


Não apoiado o que se seguiu
pelo aproveitamento do "convite " feito à população, com







“ a honra de convidar V.Exa. “,




fazer propaganda politica de concorrencia desleal :

“está em fase de remodelação e ampliação a EB1 Penalva (que deverá ser inaugurada no início do próximo ano lectivo) e é ampliada para mais quatro salas de pré-escolar a EB1/JI nº 9 Alto do Seixalinho.

Não estaria o edil ainda a falar na escola e para a escola P.J.J.R.Seixas ?

“Havia necessidade” de politizar esta ocorrência, reforçada com outras “intervenções voice master “ sem vertente pedagógica?


“em 2011, serão ampliadas, em mais quatro salas de pré-escolar, a EB1 nº 2 do Lavradio e, em mais quatro do 1º ciclo, a EB Fidalguinhos.

“Por outro lado, tem sido objectivo da CMB o reforço e dinamização do Centro do Barreiro, que se traduziu na requalificação da Avenida Alfredo da Silva e do edifício da nova escola, entre outros aspectos. “Começa a ser visíveis os resultados dessa aposta. Em 2010, vamos continuar a trabalhar neste sentido, requalificando as margens dos rios”.


Pois !



Boa tarde.


21 fevereiro 2010

(645 ) QUANTO MAIS NOBRE MAIS INTRAGÁVEL.


Não quero ofender a Charcutaria Nobre e muito menos os seus porcinos de qualidade,
estava só a pensar alto e saiu .


“ A AMI é hoje uma fundação com um orçamento de milhões de euros, nove centros Porta Amiga e dois abrigos nocturnos.

Em cargos directivos figuram dois irmãos do médico e a sua mulher é a secretária geral."

In público pg 5 de20fev2010.

Banalidades vinda de gente pretensiosa como os “imperativos morais” e estar “acima dos partidos”

( não há português que se preze que não se considere acima dos partidos e dos políticos corruptos !)

sempre me cheiraram a, insuportável , xixi de gato .

Que o diga a gata traída em


cena de faca e alguidar .





Boa noite .


20 fevereiro 2010

(644 ) PAULO RANGEL TRAZ COISAS COMPLICADAS. COISAS ACERTADAS. COISAS VINDAS DA DIREITA ENVERGONHADA.


Não tenho simpatia política por Rangel, mas, hoje surpreendeu-me:

“Aos 10 anos no ensino profissional? ”

“Não aos 10 anos, mas aos 12, 13, 14 as crianças podem estar a aprender uma profissão.

O que é que é preferível?

É termos uma pessoa com 17 anos no 9º ano ou a fazer o 9º ano pela quarta vez ou uma que até aprendeu umas coisas de uma língua estrangeira, de história, de matemática, de português e que sabe ser um bom electricista aos 16 ou 17 anos?

Ou um bom canalizador?

O que é que é preferível do ponto de vista social?

O que é que vai trazer maior mobilidade social?

O que é que é melhor como valor colectivo?

Esta é a questão que nós temos que abrir.

Nós temos que romper um pouco estes tabus.

Além de que vamos ter de aceitar alguma selectividade na escola.”

Rangel não descobriu nada de novo.

Apenas destapa o véu de coisas escondidas , que Abril “adulterou” , vividas por gerações de sucesso, sem frustrações, das quais duas ainda estão vivas.

No Barreiro a CUF e os Caminhos de Ferro, ambas no ossário da Revolução, testemunham o sucesso dessas gerações.

Gerações que nasceram e cresceram aprenderam no duro sem democracia.

Que estiveram na guerra.
Sofreram e trabalharam.
Alimentaram uma revolução.

A maior parte do que desfrutamos hoje em família a eles devemos.

Começa por ser tempo suficiente discutir o mais depressa possível o tabu - da razão - da III República “criminalizar” a opção de trocar a escola pela fábrica ou a aprendizagem de uma profissão destruindo o ensino técnico, as escolas comerciais, as escolas industriais, os liceus;
tudo isto só por si já exige desmistificar “o” Abril que emperra o desenvolvimento para lhe darmos o verdadeiro valor e não aquele que “julga” ter.

Quando se começa?




Boa noite.


19 fevereiro 2010

( 643) NEM O CARNAVAL ESCAPA À GULA DO PODER POLÍTICO DO BARREIRO NOVO.


Uma maldosa partida de Carnaval à Barreiro Novo e do poder autárquico , passar um espectáculo de rua de uma tarde de inverno , para uma noite gélida.

II

“A população com o frio que está saiu à rua”
Só uma obsessão, com essas coisas de “mobilizar o povo”, se satisfaria com isso.

“Dá para estarmos satisfeitíssimos “

ficam muito satisfeitos quando ,ao contrariar a lógica das coisas ditas normais, se sentem ganhadores , por que

“A população aderiu mesmo

E se a população não tivesse aderido, estariam perante uma derrota de mobilização ?

está aqui muita, muita gente”
Sabe-se que com muita gente na rua o Barreiro Novo nunca tem derrotas, sempre apoiado nos “trabalhadores ”, mesmo na tomada de decisões que contrariam “a lógica das coisas ditas normais” por elas virem de onde vêm.

“Esse é também um elemento positivo”.

Pois!

III

(…) comportamo-nos como se tivéssemos o clima do Rio de Janeiro e usamos dinheiros públicos para custear uns corsos carnavalescos cujos adereços condenam à pneumonia qualquer um dos participantes.

Para acabar com estes desfiles de gente enregelada e devidamente patrocinada pelas autarquias para fazerem de conta que são foliões, talvez não fosse má ideia libertar o Carnaval do poder politico, esconjurar de vez essa estranha religião que tem como dogma a crença na Primavera eterna e sobretudo perceber que o carnaval não nasceu no Brasil e que durante séculos e séculos foi festejado por gente tão animada quanto agasalhada (..)

Helena Matos /Público 18fev10


Boa noite.


18 fevereiro 2010

( 642) A NOTÍCIA É MUITO MÁ : PORQUE NÃO A FULANA DA ABRAÇO COMO CANDIDATA A P.R. ?

A notícia é muito má.

Fernando Nobre candidato!

Pensar em Spínola, Costa Gomes, Eanes, Soares, Sampaio, Cavaco …

quem se julga para se candidatar a Presidente da República Portuguesa?

Fernando Nobre atacou a UE por se preparar para manter Durão Barroso nas funções de presidente da Comissão, alegando que "ele é o único que resta no activo da cimeira da vergonha, na Base das Lages", em que os Estados Unidos da América decidiram lançar o ataque ao Iraque.


É esta a República do centenário?



Boa noite .

17 fevereiro 2010

( 641 ) A FORÇA DO LÁPIS AZUL SEMPRE DEPENDEU DA LITERACIA DOS POVOS.

E o povo português no todo nacional, ou especificamente o do Barreiro, não se dá conta dessas “ninharias intelectuais “ nem tem a percepção de ser manipulado.

Por consequência, em ditadura ou em liberdade, com “esquerdas” ou “direitas” nos diversos “poderes estabelecidos”, a liberdade de expressão, ou a qualidade dessa mesma informação, nunca foi “politicamente “ livre e muito menos em
jornais locais como a manhosa informação Barreirense.

O que nos leva a aceitar que
cada um tem a informação que merece.

II

Hoje ouvi José Manuel Fernandes, 20 anos no Público e ex director, em audição na comissão de ética da A.R.


Do que disse provando com factos acredito no controlo do “mundo mediático” pelo partido socialista no governo [uns mais do que outros, no poder, são todos iguais] com a esmagadora colaboração do
país de idiotas que somos.

Para além das dificuldades financeiras, e da dependência da publicidade, a ignorância não ajuda à melhoria da qualidade do jornalismo que se faz.


Fernandes chamou a atenção para isto :

Por 1000 habitantes no Japão há 700 leitores de jornais /revistas etc.


Inglaterra com 500. Espanha 120. França 150.


Da Turquia aos países de leste, há números superiores aos 70 (setenta) em Portugal.

Onde é que esta gente vai buscar a sua fonte de informação ?


II

Também ouvi Mário Crespo, na mesma audição, e ele convenceu-me que nos últimos quatro anos a liberdade de expressão, a liberdade do jornalismo e dos meios de informação, ficou comprometida .


Como estamos de liberdade de expressão no Barreiro Novo ?


A mim preocupa-me pouco esta “crise” como consumidor da política fiável dos bonecos Mandala da
Contra Informação.

Lá está tudo. O País real.



III

As questões pouco inteligentes, e nada felizes, colocadas por Isabel Oneto
(do partido socialista) a pretender “desmascarar “, Fernandes ou Crespo, sujeitaram-na a ser esmagada por Mário Crespo.

Muito provavelmente nem se deu conta disso!

I. Oneto faria inveja a António Ferro e vergonha a mim se fosse um socialista.

Uma tristeza assistir à despersonalização, na subserviência militante, nestes novos tempos políticos.


IV

A notícia é muito má.


Fernando Nobre candidato!

Pensar em Spínola, Costa Gomes, Eanes, Soares, Sampaio, Cavaco …

quem se julga para se candidatar a Presidente da República Portuguesa?

Porque não a fulana da Abraço?

É esta a República do centenário?




BOA NOITE.

14 fevereiro 2010

( 640 ) FOI COM GENTE DESTA QUE CHEGÁMOS AOS 523 ANOS ?

Nesta última sexta-feira a boca da caixa do correio esteve repleta de publicidade de merceeiros, do LIDL ao Modelo, da Feira Nova ao Boletim da Junta de Freguesia do Barreiro de Fevereiro 2010.

Ao ler isto


não se dá conta, na segunda página , do que se segue ao título



«Assembleia de Freguesia do Barreiro. Espaço de debate, participação e construção de um futuro comum»

tem POLITICA SEM ÉTICA escondida entre “aspas inglesas” :

(…) de que “ próximas Assembleias de Freguesia se realizem em locais descentralizados , por toda a freguesia e de fácil acesso a todos “,

mais adiante ,

“no sentido de proporcionar a cidadãos portadores de deficiência e cidadãos de mobilidade reduzida iguais condições de acessibilidade e mobilidade “ ,

“ que o actual Executivo assuma como prioridade durante este mandato, em concertação com a Câmara Municipal , a mudança de instalações da Junta de Freguesia “.

Só quem aprendeu a ler nas entrelinhas, e os entende, sabe que precaveram-se da eventual reacção de quem está no seu direito.

Segundo Houaiss, aspas (…) delimita uma citação.

Estamos perante uma habilidade retórica, melhor, de uma deficiência intelectual, porquanto o que escreveram salvaguardado entre as “aspas inglesas ”, constou, e consta, do programa eleitoral autárquicas 2009

POR UMA FREGUESIA MAIS SOLIDÁRIA _ UM PROJECTO MAIS PRÓXIMO DAS PESSOAS

da responsabilidade do partido socialista, onde se lê na

AFIRMAÇÃO DA FREGUESIA:

- Assumir como prioridade a mudança de instalações da Junta de Freguesia para um edifício de piso térreo, facultando a todos o acesso aos diferentes serviços.

Quem leu o Boletim jamais se recordará, que este objectivo tem dono


e pensará, de boa fé, que eles estão a “fazer coisas interessantes”.

A haver a legitima reposição da verdade de quem se sente ludibriado, deveria ser inserido um esclarecimento dos ofendidos no próximo boletim da J.F.do B., em espaço equivalente, “para que a verdade seja reposta”.



Boa noite.


11 fevereiro 2010

( 639 ) A MORAL AVULSA. A INQUISIÇÃO. A TRELA. OS DONOS DO CÃO DA TRELA DOS SACOS E DA MERDA DE CÃO.


Linguajar sobre coisas sustentadas na moral avulsa, não é o meu forte, razão pela qual muito raramente, eu e os meus cães, reagimos a provocações vindas dos habituais moralistas de circunstância que têm , quando em crises de bronquite e expectoração ,a via pública como um escarrador privilegiado nos dias de maior ataque.

Trazer hoje à conversa este tema exigiria antecipadamente saber o que esta Cidade, pouco exemplar, entende por respeitar os animais ,de respeitar o outro, de civismo, de democracia, de liberdade.

Depois falaríamos de merda .


II


Quando se fala de "merda de cão" nos espaços públicos fala-se de quê ?

Casa – Estrada -Avenida da Praia – Cocó – Chichi – Estrada - Casa.



III


O isco envenenado, colocado estrategicamente há pouco mais de 15 dias no Parque da Cidade, que envenenou mortalmente quatro cães, simultaneamente, e que colocou um quinto em perigo de vida, confirma-nos o meio psicopático da Cidade.

Quem conhece a felicidade canina em Hyde Park, Champs Elysées, Madrid, Roma etc. consegue compreender o atraso civilizacional em que nos encontramos como povo .

Por cá, como sempre, a retórica autárquica reforçada com a capacidade critica do “jornalismo” local , do “alegadamente” e da “suspeita”

(vocábulos do politicamente correcto , para não ofender os direitos do envenenador assassino ,quando estamos perante factos concretos )

dão-nos a esperança que as coisas vão no bom caminho .






Boa noite.


09 fevereiro 2010

( 638 ) UNS MELOSOS MELÍFLUOS DELICODOCES LAMECHAS MELADOS E PIEGAS.

No Barreiro são isto tudo, e mais alguma coisa, quando têm acesso privilegiado a um jornal papel ou virtual … e "escrevem" para impressionar o statu quo e a nomenklatura.

Agarrados ao conforto do politicamente correcto desancam em tudo o que está em moda para desancar; oportunistas como são, não desancam em quem, tão à mão, deveriam desancar.

É verdade que ninguém lhes dá a importância que julgam ter, mas, infelizmente, em busca da informação, somos obrigados a tropeçar no dia-a-dia nessa gente cedente de vaidade, de palco, holofotes, e das palmas que recebem sempre dos mesmos … para os mesmos.

Sempre foi assim desde o 26 de Novembro de 1975 e assim será.

Um nojo intelectual.



video




Boa noite.

07 fevereiro 2010

( 637 ) IGUALDADE ... NA TRIGONOMETRIA .


Canapé estilo Inglês, sem costas , em madeira exótica de macacauba , perna canelada . Tem dois pés à frente a confirmar dois lugares.



Canapé estilo Dona Maria , nogueira com embutidos. Tem quatro pés à frente a confirmar três lugares .

Canapé estilo Império , com assento em veludo vermelho, com embutidos em espinheiro e buxo. Tem cinco pés à frente a confirmar quatro lugares.





Canapé estilo Republica Democrática do Barreiro Novo , finais anos noventa, século XX. Tem cinco pés à frente a confirmar dez lugares.


Boa noite .

05 fevereiro 2010

(636 ) O PALÁCIO DE BELÉM GASTA O DOBRO DO PALÁCIO DA ZARZUELA.



A prestigiosa monarquia Espanhola é mais poupadinha do que o regime Republicano português representado em Belém - a maçonaria classifica o actual regime de República Democrática no prosseguimento da 1ª República de 1910/1926 com oito Presidentes e o Estado Novo de 1926/1974 com três Presidentes.


República Democrática? Ih, Ih, Ih…Ih


video



Enquanto o Estado Português, nas lonas, sustenta Belém pela módica quantia de 16 milhões € o governo espanhol, com mais riqueza, transfere anualmente para a coroa 9 milhões €.

Para sustentar a monarquia cabe a cada espanhol 0,19€.

No Portugal semi-presidencialista cabe a cada contribuinte 1,58€.
Como sempre pagamos mais e nem por isso somos bem servidos, mas, eles servem-se, à excepção do ex-presidente Eanes, o único que consta, não levou para casa as que
recebeu durante o seu mandato.



video




II



O que eles inventam.

Disse (Público 4.2.10) o constitucionalista Bacelar de Vasconcelos:

“O Presidente [da República] é um factor de condicionamento dos partidos, quer seja do da sua família, quer seja dos outros.

E era perfeitamente substituível por um presidente eleito pela Assembleia da República “ .

Seriam estes







os que nos iriam substituir no sufrágio universal ?


Pobre República!




Boa noite.


Post escriptum


A propósito do plágio de uma foto JPEG do barreirovelho.blogspot colocada num artigo escrito pela Editora do Jornal do Barreiro, edição de 15jan10, foi graças ao doutor Jorge Fagundes que , no seguimento de conversa de rua , me encontrou hoje e chamou a minha atenção para a “ Rectificação” publicada na edição de 22jan10 que esclarece que foi um lapso etc. etc.

Desconhecia . Não vi!


Confesso que ler letras pequeninas não é o meu forte.

Assunto encerrado.

VTM