27 setembro 2009

HEIN MONA ! JÁ TÁS A SORRIR ?

legislativas 2009
JUNTA DE FREGUESIA DO BARREIRO


JÁ TÁS A SORRIR ?



BE /PC /PSD /PS /CDS

23/ 129 /20 /80 /6 mesa 1 (Palmeiras)
29 /174 /52 /155 /26 mesa 2 ( Biblioteca)
42 /116 /61 /118 /22 mesa 3 (Biblioteca)
41 /129/ 67 /147 /19 mesa 4 (Biblioteca)
72 /142 /195 /240 /41 mesa 5 (Biblioteca)
104 /140/ 103/ 252 /54 mesa 6 (Biblioteca)
85 /102 /68/ 198 /29 mesa 7 (Biblioteca)
82 /307 /53 /189 /25 mesa 8 ( Penicheiros)
76 /167 /76 /222/ 53 mesa 9 (Penicheiros)
43 /72 /40 /119/ 17 mesa 10 ( Penicheiros)
597 /1478 /735 /1720 /292 totais



ACHASTE GRAÇA ?

Total

1º PS 1720
2º PC 1478
3º PSD 735
4º BE 597
5º CDS 292

GANDA MALUCA !




Boa noite.

25 setembro 2009

COM A VERDADE ME ENGANAS OU COMO AS VERDADES NOS ENGANAM.


I

Um palhaço de serviço do partido socialista

(vai ficar na história a fazer companhia à cadeira do Forte de São Julião da Barra)
na histeria de um comício eleitoral para confundir a assistência lia exaltado um papel com ares de entendido :

“Os problemas nacionais e a ordem da sua solução».

«Represento uma política de verdade e de sinceridade, contraposta a uma política de mentira e de segredo.

Advoguei sempre que se fizesse a política da verdade, dizendo-se claramente ao povo a situação do país, para o habituar à ideia dos sacrifícios que haviam um dia de ser feitos, e tanto mais pesados quanto mais tardios»

Rematava depois :

«Eu sei o que é que vocês estão a pensar, que este é um discurso da dra. Manuela Ferreira Leite» .

«Este é um discurso que foi feito a 9 de Junho de 1928», já não sei de quem .

A comparar a líder do PSD a Salazar , por causa disto


enquanto a esquerda radical qualifica Sócrates de fascista .

Não parecem todos iguais ?

II


O orador , convencido que lia o discurso de Salazar

“ os problemas nacionais e a ordem da sua solução “ de 9 de Junho de 1928 ,

lia um outro o discurso de 21 de Outubro de 1929 subordinado ao tema :


“POLITICA DE VERDADE, politica de sacrifício e politica nacional “.

O primeiro foi lido por Salazar no quartel-general de Lisboa em 1928 e o segundo em 1929 na sala do conselho de estado.

Na calúnia , é um pormenor sem importância, mesmo que a VERDADE SALAZARISTA ou a POLITICA DE VERDADE, apareça em ambos os discursos.

III


Por que razão teria sido Salazar o português mais votado, num concurso televisivo, com 41 %

(à frente de Cunhal com 19,1 % , de Aristides de Sousa Mendes 13, 0 % , )

entre 10 “concorrentes “ quando a maior parte da população vem depois de 1974 ?

Uma explicação:

Os patetas militantes do “deita – a - baixo”, desrespeitam, desvirtuam e abandalham, sistematicamente o pesadelo e o passado de muitos portugueses que sofreram (no corpo, na alma e… na carteira) com uma ditadura que a guerra colonial fez cair de podre.

Acabam por criar uma curiosidade por Salazar, provocando comparações descontextualizadas da actual anarquia da III República e a "disciplina" de mão férrea do Estado Novo.

Dois exemplos recentes:

1/Comparar a líder do PSD, que cometeu o crime de utilizar “politica de verdade “ na actual campanha eleitoral a Salazar, provoca um efeito contrário.

Não considerando o caso actual, fazer a mesma comparação a quem quer que seja, não passa de uma provocação estúpida.

2/Ou comparar a ASAE- Autoridade de segurança alimentar e económica à PIDE.

Há mais, milhentos exemplos, como muita gente utiliza abusivamente e indiscriminadamente as palavras “fascista “ , ou "anti-fascista" em democracia , a fazer-se , e a dar ares , de revolucionário conhecedor.

As causas:

Os patetas, totós ignorantes conheceram mal, ou não conheceram, ou ouviram falar de Salazar, da censura e da mão pesada e repressiva da ditadura e da PIDE. Têm uma vaga ideia.

Esta gente, que conta a versão da ditadura que mais lhes convém, não são mais do que uns empecilhos à modernização do País, que evoluiu, mas não se modernizou.


IV

Depois das eleições falaremos disto


um Portugal de Caverna , a POLITICA DE VERDADE, a VERDADE, e as VERDADES estão cá dentro.

Uma investigação de Costa Pimenta, Magistrado e Investigador da Universidade de Lisboa, Bertrand, Março de 2009.

Enfim, os portugueses na sua maioria esmagadora fazem gala e tem orgulho em cultivar a ignorância como um atributo sui generis português.

Outros, uma minoria contra todos, dizem não.




Boa noite.

23 setembro 2009

MARX, GRAMAVA D’UMA CENA




Tudo indica que o PS ganhe as próximas legislativas sem maioria absoluta, o que o obriga, a coligar-se para governar.

Adivinhar-se-ia um suicídio, à democracia e ao regime em crise saído de uma Revolução , a haver uma coligação à direita, do CDS ao bloco central, ou a três para 2009/2013.


O PC & BC que têm como cadeira do poder a rua, têm mais de vinte por cento juntos, um caso estudo na comunidade europeia, exige “políticas de verdade”.

O País está cansado e exausto com tanta gente competente e determinada, com soluções para resolver a “crise” , esteja fora do poder a governar na rua na TV nos jornais.


Uma grande injustiça, quando se prevê no domingo mais um estado de espírito negativo, de um eleitorado cada vez mais confuso e perdido, sem as saias da mãe e as calças do pai para se agarrar e não tropeçar, a dar uma maioria absoluta à esquerda no seu todo.


Seria óptimo.


Uma oportunidade única para o País avaliar, na “real”, o valor das teorias do PC & BE na ajuda ao governo PS e teríamos a ambicionada esquerda unida a dar cabo dus ricuus , a destruir o grande capital ,a tirar-nos da crise , provocada pelos espanhóis e Salazar.


ALTAMENTE MARX!




Boa noite.


19 setembro 2009

NOITE DE CINEMA COOLTURAL BARREIRO NOVO PARA ADOLESCENTES MAIORES DE 65 SEM A.P..




INTRIGA , PAZ E AMIZADE.
Link no título


ESQUERDA ARDENTE .

videofire
ALBURRICA NOVA .
video
O MESTRE.

video

XIXI , CAMA … FAZER Ó Ó .

BOA NOITE.

O BARREIRO NOVO QUER CONTRARIAR OS NOVOS RITMOS DA HISTÓRIA.

I

” Tempos de terror e emboscadas, em que os revolucionários, de sucessivas revoluções, se misturavam com assassinos e assaltantes, ocultos nas moitas e arbustos dos campos, a espreitar os incautos, liberais ou conservadores, que se aventuravam pelos caminhos esburacados e enlameados.”

O Barreiro na transição do século XIX para o século XX “ O Crime dos Velhos da Camarra “ pág247, de João Manuel Firmino, editora papiro 2008.

II

Um século depois o Barreiro está diferente, mesmo que mantenha as ruas esburacadas e caminhos enlameados no Inverno, porque não conta a Avenida Alfredo da Silva, o Fórum, o “elemento escultórico “ feito de encomenda ou a nova muralha , para definir o nosso Concelho.

As moitas desapareceram e o campo encostado ao cimento é curto para ser digno de campo está sem ninguém a fazer esperas aos seus inimigos políticos para os assassinar, não por falta de vontade de muitos camarros.

III

Alfredo da Silva viu e ouviu Sócrates, esta semana no Barreiro, e gozou como um perdido:

“ Barreirenses, vocês estão entalados.
Só o PS vos pode dar a ponte!
Querem a Ponte um elemento estruturante?
Votem PS “.

IV

Vergonhoso o exibicionista que cuspiu para a mão do militante que lhe entregava propaganda eleitoral do PS;

condenável a exibicionista histérica que gritava “onde está esse malandro?

Vai-te embora!”

Quando falam em Paz e Amizade o que é que isto quer dizer?

V

Hoje sexta-feira por volta do meio-dia, a Rua Elias Garcia, da Junta de Freguesia, frente ao Centro de emprego, foi transformada por uma horda em Quinta da Fonte ou do Mocho, durante duas horas. O trânsito parou na Avenida.

Foi difícil contar o número de ciganos, determinados para linchar um da raça deles que se estabeleceu na mesma rua com um negócio de malas: Estás morto!
A polícia chegou uma hora depois, segundo dizem, e acabou por pedir reforços.

Uma semana em cheio para Alfredo da Silva que riu e gozou, como um louco, com este Barreiro Novo!

VI

Alguém gritava , quinta-feira ,reportagem TV de quarta-feira, a procurar humilhar um candidato às próximas legislativas:

“não gostas dois ciganos “,“ queres roubar os ciganos “,“racista”.

Como dizem as sondagens: “se as eleições fossem ontem “ … já sabiamos em quem votar.

Boa noite.


18 setembro 2009

NOÉ LUZ disse



Assunto: malangatana no barreiro
cópia: barreirovelho

17setembro2009

O Barreiro 2008

«O Barreiro é a minha terra do coração e se alguém pensa que é mais
Barreirense que eu só por ter nascido no Barreiro, engana-se!»

Mas quem é capaz de bofetar os barreirenses tão ... carinhosamente?
cuidado gente este... M_alandro? M_aldoso? M_anhoso? M_armanjo?
M_alvado? M_oncoso? tem peso!
enfim... no jornal dizem «este grande
M_alangatana enamorado do Barreiro!» aquele M_ufana agora sô doutor
politécnico-em-politécnicas [des]honoris causa do M_aputo? pois é... e
em palavras do Júlio Navarro «essa gula insaciável»!

O QUE NÃO MATA ENGORDA

Artebarreiro 2009

Ficámos a saber que uma grande (mesmo muito grande) parte dos encargos
financeiros com a obra é da responsabilidade da MULTI que construiu
o Fórum Barreiro...

Pois sim o seu namor tem preço:
chama-se M_ulti Development! por isso
o M_agnete M_ade in M_atalana já quer mandar no Barreiro! este
«pobre» balofo é um espectaclo...
CADA JOGADOR TEM UM FIM DE CARREIRA

O Setubalence 2009

«Malangatana... o artista moçambicano a trabalhar numa escultura... um
artista desta projecção mundial... uma coisa excepcional e
magnífica... a grandiosidade e a beleza duma obra do outro mundo...
esta obra marcará a cidade no presente e no futuro... as palavras os
adjectivos não chegam para descrever a emoção de ter um artista como
Malangatana a trabalhar no Barreiro... é com grande emoção e gratidão
que o temos entre nós...»

QUANDO OS APLAUSOS SÃO DEMASIADOS FORTES O DANÇARINO ENGANA-SE DE PASSO

Noé da Luz
Anexo1:
espelho de Chissano «olhar ver e sentir» M_alangatana que tantas gosta molhar... ao que
parece apanhado pelas barbas? no derreter de medo deste M_estre do
engano o que vai sobrar?

Anexo2:
a sombra cresce no seu devagar sem pressa
uma obra alusiva à paz a ser esculpida num M_atador... será mesmo? mas
como guardá-la «a branco e branco com áreas de transparências» num
lugar dedicado ao vermelho a escorregar por todos os lados?
o seu
pedestal não é de M_ármore e o M_ultifacetado M_ealheiro de corpo
carregado de carne e sangue foi ao encontro de quem sabe esperar...





----- Finalizar mensagem encaminhada -----

16 setembro 2009

OS NOVOS CANIBAIS DO BARREIRO NOVO.

I

O regime democrático da III República sustentado num sistema político perverso, está implantado a contente de todos os partidos e do povo soberano.


Se o artigo 2º da Constituição da República
(A República Portuguesa é um estado de direito democrático, baseado na soberania popular) não fosse um bluff o regime nas próximas eleições teria muita dificuldade em se afirmar:


se mais uma vez nada acontecer é porque adoramos, como portugueses, sermos enganados.

Então porque se queixam tanto?

II

Porque razão o Presidente da República está impedido de fazer “maldades ao sistema “ num período de doze meses intercalados - seis antes de terminar o mandato mais seis depois de iniciar o mandato - e os partidos no poder Autárquico podem aldrabar os eleitores incautos
(a maioria?) com inaugurações, muito circo, e “festas” em cima dos actos eleitorais?


III

Jorge de Sena:


“ (…) De Portugal chegam-me elogios e um silêncio de morte, de todos os lados – como essa pátria, tirando o povo e uns raros, é vil canalha, e mesquinha… (e a minha amargura de erudito é a descoberta de que realmente o foi sempre – pelo menos do século XVII em diante, quando realmente não merecíamos senão ter continuados espanhóis). E, tudo isto, sem estímulos e sem calor humano é uma cruz muito triste de carregar”.


Há dias em que penso que Jorge de Sena tem razão. Muita razão.

Noutros, penso que vale a pena ser português.


Agora, penso que não vale,


porque estou a ler FICHEIROS SECRETOS DA DESCOLONIZAÇÃO DE ANGOLA de Leonor Figueiredo, Alétheia , Agosto 2009,
e quem o ler ,sente vergonha de ser português.


Enquanto não acabar esta leitura, cerca de trezentas páginas, cada página que volto, volto o estômago e sinto nojo de ser português nesta III República:

seguramente se fosse espanhol, francês, holandês ou inglês não passaria por estas agonias estomacais.

IV

Aquando da inauguração do mercado 1º de Maio (a faltar menos de dois meses para as eleições autárquicas) o holandês, “dono” do Fórum Barreiro e inquilino da Câmara Municipal a pagar uma renda de 1000 € mês , no parque de estacionamento com 280 lugares, durante 30 anos no mesmo mercado, lembra-nos que não nos esqueçamos, que “a autarquia está muito bem entregue” notícias do Barreiro 9 Set 2009 pag. 12:

“Quero agradecer a entrega do presidente da Câmara nestes dois projectos, a autarquia está muito bem entregue.”


E porque não estaria melhor entregue nas mãos de um qualquer candidato às próximas autárquicas?


Se isto não é um abuso, em terra alheia, o que é um abuso?


A população não descurou questionar-se
(em boca pequena) :

que autoridade tem este investidor estrangeiro (bem-vindo como investidor, mal - vindo como um intrometido na vida politica do Concelho) vir fazer disto uma choldra ?

V

O Barreiro, culturalmente, é uma madrasta para os seus , e, puta de pernas abertas para os de fora.

Sempre foi assim, todavia , depois de Abril , está mais leviana .

VI

Quem não gostaria de saber quanto dinheiro público foi envolvido, nestes últimos meses, no “elemento escultórico”, em propaganda autárquica, festas, festarolas e inaugurações em cima de duas eleições ?



Boa noite.

15 setembro 2009

ZÉ DO BARREIRO disse

Senhor VTM,

Estou a escrever-lhe este texto, simplesmente porque os seus Posts
deixaram de ter comentários. Não fora isso, postaria este texto como
um comentário no seu ultimo Post.

Então é assim:

Neste momento estou pior que estragado.

Porquê ?

Poderá perguntar.

Acabo de vir do AMAC pois tinha por objectivo assistir à
inauguração/abertura da exposição do pintor/escultor Moçambicano,
Malangatana.

O evento estava marcado para as 18:30 horas. Às 19:15 o
pintor/escultor Malangatana ainda não tinha chegado !

Entendo ser uma grande falta de respeito e consideração do
pintor/escultor Malangatano não por mim - que nem me conhece, nem eu a
ele - mas pelas largas dezenas de pessoas que aguardavam que chegasse.

Já que o dia e a hora do evento estavam marcados e publicitados há
larguíssimo tempo, não havendo razão e justificação plausíveis para o
atraso.

Como afirmei no inicio deste texto vi-me embora pelas 19:15 horas.
Pergunto: a que horas se dignou Sua Exª o pintor/escultor Malangatana
aparecer ?


Gostava de saber, por uma questão de curiosidade ...

No meu entendimento, a consideração, o respeito e a amizade que o
Barreiro manifestou pelo pintor/escultor Malangatana não foi nem de
perto nem de longe correspondidos, nesta atitude do artista e logo na
abertura da sua própria exposição.

Notas finais:

O Senhor VTM não é, nem pouco mais ou menos, nem padre, nem
psicanalista nem ouvidor profissional.

Juro que não sou racista nem xenófobo.

Apenas redigi este texto, porque o Senhor VTM "cortou" os comentários
no seu Blog e, também, para mostrar toda a minha indignação
relativamente ao procedimento do pintor/escultor Malangatana.

Já agora, Senhor VTM, diga-me onde estão/estavam os artistas
Barreirenses, por exemplo o Kira, o Camarro e alguns outros ( existem
? ) para que não lhes fosse encomendada a mesma obra que foi
"adjudicada" ao pintor/escultor moçambicano Malangatana ?

Por agora fico-me por aqui.

Melhores cumprimentos,

Zé do Barreiro.

(PS: O Senhor VTM, poderá, obviamente, fazer o que bem entender com
este texto, incluindo fazer o favor de dar a sua prestimosa opinião
sobre o mesmo.)


Nota:
Boa tarde
Relembro ao meu caro amigo bloguista

Zé do Barreiro do http://aparagem18.blogspot.com/

que não é do meu agrado o encerramento da caixa de comentários do barreirovelho.

Lamento.

Já divulguei aqui os motivos; até ver ,vou continuar com a mesma fechada , ajudado com a minha falta de pachorra para quem conheceu e se defendeu da PIDE , vir agora repetir o passado a defender-se ,diariamente em democracia ,de uma brigada anónima e provocadora de comunas neo-legionários- estalinistas da confraria reaccionária de blogues do PCP e da Escola de Béria.


Relativamente ao justo e oportuno teor do seu comentário voltarei brevemente.


Cumprimentos
VTM

13 setembro 2009

A ARTE É APÁTRIDA MAS NÃO APARTIDÁRIA.

I
Conheço poucos portugueses que saibam “falar de arte “ , para ajudarem-nos a compreende-la, sem envenenarem a arte ou o artista.

Com isto , Richard Wagner (1813/1883) , disse tudo :

“ Se tivéssemos uma verdadeira vida não teríamos necessidade de arte.

A arte começa precisamente onde cessa a vida real “.


Seja bem-vindo ao Barreiro, uma terra triste e sem atractivos, o elemento escultórico de Malangatana.


II

O Barreiro perdeu-se nos tempos ,a desperdiçar energias ,a falar do passado, em quezílias partidárias e em moralidades políticas, desprezando a cultura ,cultura, e, por ignorância e facciosismo partidário, nunca soube lidar com os seus;


... o Cândido, o Marinho, o Cabanas, etc.etc., não esquecendo o desprezo com aqueles que agora começam.

Um drama cultural tabu.


Isto leva-nos a ser tolerantes com a pegajosidade ao actual poder autárquico dos nossos talentos no que escrevem e no que dizem. Triste.


É esta a regra do jogo.

O elemento escultórico, que vai ser inaugurado no próximo dia 14, vai dar pano para mangas neste Barreiro aculturado atascado de ódio e de ócio intelectual.


III

Jorge de Sena (1919/1978), um Homem perseguido e ostracizado pelos Salazaristas e comunistas.


(licenciado em engenharia civil) académico, um dos maiores vultos da cultura portuguesa do século XX, ensaísta, ficcionista, dramaturgo, poeta, crítico de literatura e tradutor, um gigante das letras, voltou à sua Pátria cinquenta anos depois de um exílio forçado, na sequência de um golpe falhado para derrubar Salazar em 1959 que ficou conhecido pelo Golpe da Sé.


O facto de ser um homem livre, não dependente partidariamente, levou a que o 25 de Abril o tratasse com desdém, não regressando como outros à sua actividade académica, porque nunca tinha sido um “antifascista “.


Que adianta dizer-se que é um País de sacanas?
Todos o são, mesmo os melhores, às suas horas,
e todos estão contentes de se saberem sacanas.

Sena o”país dos sacanas “

Os seus restos mortais transladados, trinta anos depois, do cemitério de Santa Bárbara, na Califórnia, passaram pela Basílica da Estrela, e ficaram onde não deviam ficar, nos Prazeres.


Nos tempos modernos, como não foi fadista, não tem lugar no Panteão Nacional.


IV

(…) apenas se fala do que se não fala,
apenas se vive do que não se vive,
apenas liberdade é uma miséria
sem nome, sem futuro, sem memória

E a miséria é isso: não imaginar
o nome que transforma a ideia em coisa ,
a coisa que transforma o ser em vida,
a vida que transforma a língua em algo mais
que o falar por falar .


Sena 1989

Boa noite.



10 setembro 2009

DOS PARVOS VICENTINOS AOS PALHAÇOS HUMBERTINOS.


I

O
barreirovelho, neste curto jejum de ímpio, borrifou-se para os três primeiros dias que antecedem o primeiro fim-de-semana de Setembro, mês do Ramadão -Atalaiano, com peregrinação anual a Atalaia.


II

Libertos durante alguns dias das Vaidades e Parvoíces do Barreiro Novo em Obras, voltamos ao
barreirovelho persuadidos que os novos tempos não serão melhores que os actuais.


Continuaremos esmagados por políticos autárquicos fora de prazo de validade, como aquele filosofo Vicentino da Floresta de Enganos, com o Parvo atado ao pé, a cortar-lhe cerce todos os seus discursos filosóficos porque, parvamente, lhe interessam as exigências materiais da comida e dormida.


III

O septuagenário, presidente da freguesia do Barreiro, candidato ao quarto mandato em comício de “apresentação “, nos Penicheiros, num brilhante número de actuação , disse:

“ Será que alguma vez na nossa freguesia se viu tanta obra como nestes quatro anos?”.

Abandonou o centro da cidade e as ruas limítrofes, aos buracos e à imundície; escavou ruas e permitiu pedras empilhadas, encostadas às paredes, meses e meses. Não tinha dinheiro.

Em cima de eleições, no final dos quatro anos, já tem dinheiro para tapetes de asfalto betuminoso, em tudo que é rua e beco, a tapar buracos e remendos a tomar a população por totós.

IV

Poucas dúvidas subsistem, que nas próximas autárquicas o partido socialista/ Barreiro volta a fazer burrices - políticas, e correr riscos evitáveis, com os candidatos à Freguesia do Barreiro relegando para segundo plano quem está no primeiro, disponível e com visibilidade natural, só por não pertencer à família política.

V

O abuso do comité central não terminou:

Primeiro foi a saga da estátua de Alfredo da Silva sem fim à vista.

Muito em breve teremos no Centro da Cidade uma outra mixórdia política alheia ao Barreiro, em segunda versão, a substituição/destruição de um antropónimo, com ligação ao Barreiro que deu o nome a uma histórica rua, para dar lugar a um antropónimo estranho ao Barreiro, a Rua Malangatana.



Boa noite.